06/02/2020

 

 

A sexta edição do Gramado in Concert – Festival Internacional de Música, acontece em Gramado, de 7 a 15 de fevereiro, e oferece o melhor da música erudita em uma programação gratuita que inclui concertos de orquestras, grupos de câmara e solistas, além de oficinas que recebem cerca de 400 alunos do Brasil e América Latina.

O evento é anual e tem dois pilares fundamentais: a promoção da formação e qualificação de músicos através das oficinas, e a democratização do acesso à cultura, por meio de uma programação de concertos com entrada gratuita durante todo o festival, e a atividade chamada Conhecendo o Festival, que são visitas guiadas aos ensaios abertos ao público.

O festival vem crescendo a cada ano e a internacionalização já é um destaque da sexta edição. Além de dez professores estrangeiros vindos da América Latina, Europa e EUA, e outros 22 brasileiros, a programação artística terá a participação de três orquestras jovens internacionais: a Seoul Youth Orchestra, da Coreia do Sul, a Orquestra Sinfônica Nacional Jovem, do Peru, e a Tallin Old Town String Orchestra, da Estônia. Cabe destacar também a presença da Camerata de Cordas da UFC (Universidade Federal do Ceará), da Orquestra Antunes Câmara, de São Paulo, além da Orquestra Sinfônica de Gramado.

Outro importante momento será o lançamento, no Brasil, do CD da London Royal Philarmonic Orchestra, regido pelo maestro Linus Lerner – o primeiro brasileiro a reger a gravação dessa tradicional orquestra. O Gramado in Concert ainda promove dois concursos com o objetivo de estímulo à criação, formação e valorização de jovens músicos bem como sua profissionalização. O festival é promovido pela Secretaria da Cultura de Gramado e tem a direção artística do Maestro Linus Lerner, coordenação artística do Maestro Leandro Libardi Serafim e coordenação de produção de Viviane Soares da Bis Gestão Cultural.

Quarta edição com patrocínio da Sulgás

“O apoio da Sulgás é fundamental para realização do festival. Ao patrocinar um projeto como esse, a empresa torna possível que equipes, artistas e estruturas sejam contratadas, gerando emprego e renda. E ao final, viabiliza que lindos concertos e recitais cheguem ao público com ingressos gratuitos, promovendo o acesso e a diversidade de linguagens artísticas para as comunidades”, avalia Viviane Soares, da Bis Gestão Cultural.

 

Texto publicado na edição 24 da Revista Sulgás Natural